Foto: George Rudy/ Shutterstock

A chapinha é uma grande aliada da estilização dos cabelos, no entanto, é preciso fazer uma boa escolha e acertar no uso para que ela não acabe prejudicando os fios e se tornando uma verdadeira inimiga. Saiba o que levar em conta ao comprar a sua e como apostar nela sem danos.

O tamanho

Você já deve ter notado que existem pranchas fininhas, médias e largas – e o tamanho pode sim fazer diferença no resultado e na praticidade. “As mais largas são ideais para quem tem bastante cabelo, porque pegam mais quantidade e aceleram o processo. Já as mais finas vão para quem tem pouco volume ou para quem quer uma ferramenta capaz de alisar a raiz e modelar cachos nas pontas”, explica o cabeleireiro Walmir Oliveira.

Capacidade de aquecimento

Outro ponto importante a ser analisado é a temperatura alcançada pelo aparelho, então não se esqueça deste detalhe. “As pranchas com regulagem de temperatura são ótimas opções, mas você também pode verificar as informações do fabricante nas que não são ajustáveis. Para cabelos grossos e saudáveis a chapinha pode atingir entre 180°C e 190°C, já para os finos ou os que possuem algum processo químico (e, portanto, são mais frágeis) é preciso ficar bem abaixo disso para que não queimem ou quebrem”, alerta.

A tecnologia

Titânio, safira, turmalina…não sabe o que isso significa? Calma, abaixo você acaba com as dúvidas.

Titânio: esse tipo de prancha emite íons negativos que ajudam a fechar as cutículas dos fios, eliminando o frizz e mantendo a umidade dos cabelos. Ou seja, menos ressecamento se for utilizada corretamente.

Safira: a superfície é bem lisa e te ajuda a deslizar de maneira mais suave, uma boa opção para quem tem pouca habilidade.

Turmalina: emite íons negativos de maneira parecida com as pranchas de titânio, fazendo o calor agir de dentro para fora.

Cerâmica: o material ajuda a diminuir o atrito com os fios e ainda mantém a temperatura com mais eficiência, gastando menos energia.

Foto: Alliance/ Shutterstock

Usando sem danos

Muita gente acredita que a chapinha seja uma grande inimiga da saúde dos fios, o que nem sempre é verdade. “A prancha é um complemento do secador e tem a função de finalizar a modelagem – e não de alisar sozinha. Às vezes os danos acontecem pela falta deste entendimento, já que as pessoas tentam deixar liso apenas com ela”, adverte.

Portanto, o passo a passo é sempre o mesmo: lavar os cabelos, passar um protetor térmico e secar com o secador antes de vir com o aparelho. “O cabelo precisa estar 100% seco e limpo para que você use a chapinha sem correr riscos de queimar a fibra, então não é recomendado lavar em um dia e fazer a chapinha no outro – isso vai comprometer a estrutura do seu fio. Outro cuidado é deslizar da raiz até a ponta do cabelo, e passar no máximo duas ou três vezes em uma mesma mecha, porque é o suficiente para deixar liso sem queimar ou prejudicar a fibra capilar”.