Foto: New Africa/Shutterstock

As cores têm papel fundamental na decoração: além de trazerem mais estilo e personalidade para seus cômodos, elas também são responsáveis por despertarem sensações e podem até mesmo influenciar o seu humor. Por isso, na hora de colorir as paredes, é essencial estar atento na hora de escolher a melhor opção para cada ambiente. O blog te dá as dicas.

“Hoje as pessoas ficam muito mais em casa, e isso tem despertado uma preocupação maior com o bem-estar e a decoração. A parede toda branca é muito fria, então é natural estarmos buscando novas opções que tragam alegria e conforto. Com isso, aumenta também a necessidade de atentarmos a sensação que elas passam”, explica a arquiteta Carina Dal Fabbro

Foto: Zastolskiy Victor/Shutterstock

Tonalidade importa

Mesmo que as cores passem uma determinada sensação, também é importante que você se atente à tonalidade, já que ela tem o poder de diminuir ou potencializar esse efeito. “Quando falamos no amarelo, por exemplo, o clarinho traz a mesma alegria do vibrante, iluminando o ambiente, mas de maneira mais calma e aconchegante. Diminuir o tom para algo mais claro é uma boa opção para usar as cores que você gosta e que são muito vibrantes mesmo naqueles ambientes de longa permanência. Podemos deixar as vibrantes para ambientes como halls, lavabos e corredores, em que passamos pouco tempo, ou paredes únicas e de destaque”, indica. 

Foto: Photographee.eu/Shutterstock

Cuide da composição

Ter paredes com cores mais fortes e cheias de personalidade é uma tendência, e a composição do seu ambiente pode fazer toda a diferença para conseguir usar sem interferência negativa. “Se você tem uma parede mais forte e ousada, mas seus móveis são neutros e o piso é claro, isso não vai pesar tanto. Ao escolher uma cor bem forte em peças grandes ou nas paredes, traga os demais detalhes, como tecidos e decorações, mais delicados e neutros”, aconselha.

Foto: Pixel-Shot/Shutterstock

Cores x sensações

Azul: na psicologia das cores, o azul é a opção ideal para quem busca uma opção capaz de acalmar, trazer frescor e equilíbrio. Os tons escuros também trazem a sensação de sobriedade e auxiliam na amplitude dos ambientes. É uma grande pedida para quartos.

Verde: em alta na decoração, a cor representa esperança, saúde e bem-estar, além de melhorar a concentração e relaxamento – uma ótima pedida para home office e outros espaços que pedem calma.

Violeta: ligada ao místico e ao espiritual, o violeta remete à paz de espírito e relaxamento, mas também leva à introspecção, não sendo recomendada para ambientes onde a ideia é socializar.

Rosa: outra cor que está em alta, o rosa estimula a criatividade e traz energia ao ambiente, sendo acolhedora e feminina.

Vermelho: cheia de energia, confiança e paixão, a cor reforça a sensualidade e traz calor aos ambientes, mas também causa cansaço visual e é mais indicada para espaços de menor permanência. Também vale evitar na cozinha, já que, assim como o amarelo, ele tende a aumentar o apetite e fazer com que você coma mais rápido.

Laranja: quente e agradável, ele remete à energia, intensidade e vitalidade, além de aumentar a criatividade. É perfeito para ambientes que pedem mais estímulo.

Amarelo: vivo, jovem e luminoso, o amarelo é a escolha certa para quem busca energia, otimismo e inspiração. No entanto, por ser muito vibrante, ele também pode dificultar o descanso e aumentar o apetite.

Marrom: remetendo ao rústico e natural, traz estabilidade e conforto, além de ser uma opção elegante.

Preto: incomum em paredes, o preto simboliza inteligência e força, e deixa os espaços mais elegantes e sofisticados – um coringa quando a ideia é destacar os pequenos detalhes.

Cinza: equilibrado, neutro e elegante, o cinza é a cor do autocontrole.