Foto: fizkes/Shutterstock

Malware, spyware, ramsonware…você certamente já ouviu falar nestes termos e até ficou assustado com a possibilidade de infectar seus dispositivos com algum deles, mas, afinal, você sabe sabe o que eles significam? Para não ser pego de surpresa, o blog preparou um dicionário de cybersegurança com tudo o que vale a pena conhecer.

Malware: mais genérico, o termo se refere a todos os tipos de ameaças que podem atacar o computador, sem distinção.

Vírus: parecido com o que um vírus faz com o corpo humano, nos computadores ele se anexa a um programa que já existe, alterando o seu início para executar um código malicioso. Este código então afeta outros arquivos, criando novos executáveis para forçar seu funcionamento na inicialização da máquina.

Cavalo de Tróia ou Trojan: uma das ameaças mais comuns, este tipo de malware exige que você o instale, seja executando um anexo de e-mail que parece inofensivo ou fazendo download de um programa. Feito isso, ele se instala e se espalha por outros arquivos.

Ramsonware: parecidos com os spywares, eles invadem e sequestram os dados do seu computador em troca de um resgate, estorquindo o usuário para recuperar o acesso a algum documento ou aplicativo.

Spyware: feito para recolher informações do seu computador e enviá-las aos hackers, este malware possui as variações keylogger e screenlogger, utilizadas para roubar senhas de bancos e aplicativos pelo teclado ou imagem ao redor do mouse quando você digita em teclados virtuais.

Adware: já teve algum programa baixado sem a sua autorização durante a exibição de um anúncio? Este é o adware, um software indesejado que pode conter funções maliciosas.

Phishing: outro ataque comum, ele consiste em te enganar com uma página falsa, uma “isca” imitando um site verdadeiro em seu conteúdo e aparência, mas com uma url diferente para poder roubar seus dados de acesso e informações financeiras.

Ataque DNS: tem como objetivo o direcionamento incorreto do destino solicitado pelo usuário, desviando o tráfego de servidores legítimos e direcionando para outros domínios. Para isso, os hackers usam duas técnicas principais, o envenenamento de cache (DNS Poisoning) e o sequestro de servidor (DNS Hijacking)

Foto: rawf8/Shutterstock

Como se proteger

Mesmo conhecendo os termos, nem sempre é fácil identificar um ataque malicioso aos seus dispositivos. Por isso, o ideal e se precaver! Antes de logar em qualquer página, sempre confira a url do site para saber se está realmente no local desejado, especialmente ao utilizar o internet banking.

Outra dica importante é ativar o seu Firewall, uma camada de proteção instalada na “borda” da rede de internet e impedir que IPs não autorizados consigam acessar ambientes protegidos.

E, claro, a utilização de um bom antivírus é primordial! Além de proteger de todos estes ataques em tempo real, ele também faz varreduras em todos os seus arquivos para identificar e eliminar ameaças e malwares. Caso ele não faça o escaneamento automático, vale lembrar de abrir e pedir que ele seja realizado pelo menos uma vez por semana.