Foto: Divulgação/Leveros

O verão está chegando, mas isso não significa que você precisa sofrer com as altas temperaturas: com o ar-condicionado certo, é possível manter a casa fresquinha e agradável durante toda a estação. Para acertar na climatização dos seus ambientes, o especialista Alessandro Brabos, da Leveros, revela as diferenças entre os equipamentos disponíveis no mercado e dá as dicas para escolher a opção ideal. 

Os detalhes que fazem a diferença

Você já deve ter notado que os aparelhos de ar-condicionado contam com duas informações básicas: a quantidade de BTUs e a capacidade. “A capacidade é referente ao tamanho do compressor que faz a transferência entre a condensadora e a evaporadora, e quanto mais alto, maior a capacidade de resfriamento do espaço”, explica. Já o BTU é uma unidade de medida correspondente à energia necessária para elevar a temperatura, ou seja, a potência do equipamento. 

De acordo com o especialista, outro ponto de atenção é a capacidade de insuflamento da máquina, ou seja, a distância que ele é capaz de jogar o ar resfriado pelo seu ambiente. “Para acertar em tudo isso, nós precisamos entender qual o tamanho do ambiente, e o que existe nele. Se você tem um ambiente de 5×5 metros, mas é um espaço gourmet, por exemplo, temos que levar em conta que os equipamentos que geram calor vão pedir uma capacidade maior de refrigeração do que uma sala de tv no mesmo tamanho”, completa. 

Em linhas gerais, um ambiente sem incidência de sol pede entre 600 e 800 BTUs por metro quadrado. A cada fator externo, como muitos aparelhos eletrônicos, sol direto, muito vidro e fontes de calor, você deve acrescentar 600 BTUs extras. 

Os tipos de ar-condicionado


Foto: Divulgação/ Leveros

Split e multi split 

O ar tipo split está entre os mais utilizados em ambientes residenciais, já que é prático e de fácil instalação. “Antigamente nós tínhamos o ar de janela, e o split pode ser considerado uma evolução dessa tecnologia. Nele, a evaporadora é colocada no espaço interno, e a unidade condensadora (o motor), fica do lado externo, em uma varanda ou similar. Já o multi tem uma única condensadora, mas várias unidades evaporadas, o que ajuda a economizar espaço e climatizar mais ambientes”, conta. 


Foto: Divulgação/ Leveros

Cassete 

O cassete vem em duas opções: o de quatro vias, que fica ao centro e distribui o ar gelado por todos os lados, e o de uma via, que manda o ar em uma única direção. “Esse último é o que mais vemos em residências e apartamentos. O mais interessante é que esse é um aparelho esteticamente bonito e que interfere menos na decoração do espaço, porque ele fica fixado no forro de gesso. Se você tem uma sala grande, o mais indicado é o de quatro vias, já que ele é capaz de jogar o ar gelado a uma distância de 2,5 metros para cada direção”, indica. 

Inverter 

O inverter é considerado o ar-condicionado mais moderno, idêntico ao split comum, mas com um inverso que trabalha controlando o compressor do aparelho. Ele consome muito menos energia que os demais (quase que 60% a menos), e é mais silencioso. Apesar de pedir um investimento inicial maior, a economia em longo prazo vale a pena, já que um aparelho tem vida útil que varia de cinco a 10 anos. Muitos ainda contam com a tecnologia quente e frio, perfeita para quem vive em regiões do país em que a temperatura varia muito entre verão e inverno. 


Foto: Divulgação/ Leveros

Piso e teto

“O piso e teto é um equipamento que pode ser usado tanto no chão quanto no teto, no forro do seu espaço. Eles têm capacidades mais altas, com um poder de insuflamento bem maior e mais amplo que dos demais equipamentos. É um aparelho ideal para quem tem áreas muito grandes, como galpões, supermercados e comércios em geral”, finaliza.