Foto: TravnikovStudio/Shutterstock

Verão é tempo de pele mais exposta, sol, calor, mar e piscina – e com tudo isso, um produto se torna indispensável: o protetor solar. Para acertar no uso e se proteger, o blog traz dicas indispensáveis que vão da escolha ao uso correto.

Antes de tudo, é importante saber que, apesar de proteger contra os raios ultravioletas (um dos grandes responsáveis pelo câncer de pele e envelhecimento precoce), também é essencial associá-lo a outros cuidados. “Precisamos evitar a exposição solar excessiva nos horários de maior incidência de raios UVB, das 10h às 16h, e usar barreiras físicas como chapéus, bonés e roupas com proteção. Consumir antioxidantes orais prescritos por médico é outra medida que deve ser adotada”, explica o dermatologista Luann Lôbo, da Human Clinic.

Escolhendo o seu protetor

Muita gente acredita que basta um protetor solar para enfrentar todo o verão, no entanto, é importante ir além. “Geralmente, costumo recomendar um fotoprotetor específico para o rosto e outro para o corpo. A pele da face costuma ter necessidades cosméticas um pouco diferentes da do corpo. endo em vista que a pele brasileira tende a ser mais oleosa, priorizamos para a face filtros solares mais leves e fluidos, de preferência já com ativos de tratamento, a depender do tipo de pele (clareadores, antioxidantes, anti-acne). Já os filtros solares corporais, em sua maioria, costumam ser mais cremosos e com textura mais densa”, conta. Ao buscar o do rosto, tenha em mente o seu tipo de pele e busque por opções que tenham esta indicação.

Foto: Opat Suvi/Shutterstock

De olho no FPS

Você costuma recorrer ao FPS 15 na esperança de se bronzear? Então saiba que isso não é indicado. “O FPS mais indicado depende, principalmente, do estilo de vida de cada pessoa (se trabalha diariamente em ambientes fechados, pratica esportes ao ar livre, frequenta a praia, etc). Na hora de escolher o FPS, também é importante considerar se há antecedentes de câncer de pele ou outras patologias fotossensíveis. De forma geral, recomendamos à população o uso, pelo menos, do FPS 30“, indica.

Aplicando corretamente

Outro cuidado importante diz respeito à aplicação, que precisa ser feita de maneira correta para que a proteção seja efetiva. É necessário usar uma boa quantidade, suficiente para cobrir toda a pele do rosto e corpo, e sempre cerca de 15 a 30 minutos antes da exposição. ““No dia a dia urbano, costumo recomendar a reaplicação a cada 4h (uma média de 3 aplicações ao dia). Já durante viagens de verão, a reaplicação deve ocorrer após suor excessivo, após banhos de mar, piscina ou cachoeira, e/ou a cada 2h de exposição solar mais intensa”, completa.

Filtro solar com cor? Diga sim!

Os filtros solares com cor são grandes aliados no dia a dia, já que eles substituem as tradicionais bases de maquiagem e contam com proteção eficaz. “O pigmento presente nos filtros solares com cor formam uma barreira a mais de proteção, especialmente à luz artificial de escritórios, computadores e celulares. Na praia, principalmente nas peles mais sensíveis à radiação ultravioleta, o filtro solar facial com cor também é um bom aliado”, pontua.

Foto: Gorlov-KV/Shutterstock

Crianças x proteção solar

A pele das crianças costuma ser mais sensível, então é preciso ficar ainda mais atento tanto às barreiras, quanto ao protetor solar: “Bebês de até 6 meses não devem utilizar filtros solares. Nesta faixa etária, o melhor mesmo é recorrer a barreiras físicas como roupas e sombreiros. Já para os pequenos acima dos 6 meses, e até o fim da infância (12 anos), a indicação é utilizar filtros solares orientados ao público infantil em seu rótulo (geralmente com a palavra KIDS). Priorizar os produtos de fácil aplicação e de boa espalhabilidade também é importante, assim como a reaplicação periódica, conforme já citado”.