Foto: Drazen Zigic/Shutterstock

Treinar de máscara nem sempre é fácil, principalmente quando você é iniciante ou quando investe em exercícios intensos. No entanto, é possível reduzir os desconfortos e garantir uma rotina eficiente para não perder o condicionamento e os benefícios de uma vida ativa. O personal trainer Márcio Gaefke dá as dicas.

Reduza a intensidade

“Com a máscara nós podemos ter a sensação de que a oferta de oxigênio é menor, então a primeira dica é diminuir a intensidade dos exercícios e ir para atividades leves ou moderadas, principalmente nos exercícios aeróbicos. Dessa maneira, nós não aumentamos tanto a respiração e a frequência cardíaca e reduzimos bastante o desconforto”, explica.

Foto: Elizaveta Galitckaia/Shutterstock

Preste atenção na sua respiração

Estar atento à respiração é essencial mesmo ao treinar sem a máscara, já que isso te faz focar melhor nos movimentos e aumentar a eficiência cardiorrespiratória. “Uma dica importante é tentar sempre inspirar pelo nariz e expirar pela boca, de maneira concentrada e lenta, na medida do possível”, completa.  

Aumente os intervalos

Não quer impactar tanto a intensidade da musculação? Então é válido pensar em aumentar as pausas, permitindo um descanso maior e a recuperação do fôlego. “Aumentar esse tempo de descanso é importante e ajuda demais na redução do desconforto com máscaras. Se você costuma fazer pausas de 30 segundos, aumente para um minuto. Se faz um minuto, faça um minuto e meio. Para ter o mesmo resultado, basta fazer mais séries, aumentando em uma ou duas vezes”, aconselha.

Aumente a frequência

Com a intensidade reduzida e o tempo de descanso maior, uma boa pedida é diluir os seus treinos ao longo da semana, o que permitirá ter os mesmos resultados: “Se você costumava treinar três vezes na semana por cerca de uma hora, pode dividir isso em treinos menores e diários. Dessa forma evitamos tanto o desconforto respiratório, quanto a umidade na máscara, que deixa a atividade menos segura e incomoda bastante”.

Senti desconforto, e agora?

Sentiu que está muito cansado ou ofegante? Então é hora de parar. “Se você se sentir atordoado e cansado durante o exercício, pare e deixe para continuar em outro dia. O exercício contribui muito para a saúde, mas ele precisa ser moderado nesse momento e devemos ouvir os sinais que o corpo dá para que não se torne um vilão”, finaliza.